História

« Voltar  

Considerada a mais bela quinta da primeira metade do século XV ainda existente em Portugal, a Quinta da Bacalhôa é uma antiga propriedade da Casa Real Portuguesa. Localizados em Azeitão, a Quinta e o famoso Palácio da Bacalhôa constituem um monumento artístico da maior relevância para o País.
No século XIV, a propriedade pertenceu, como quinta de recreio, a João, Infante de Portugal, filho do Rei D. João I. Herdou-a sua filha Dona Brites, casada com o segundo Duque de Viseu e mãe do Rei D. Manuel I. Os edifícios, os muros com torreões de cúpulas aos gomos e também o grande tanque mandados construir por Dona Brites chegaram aos nossos dias.
Em 1528, a quinta seria vendida a D. Brás de Albuquerque, filho primogénito de D. Afonso de Albuquerque. O novo proprietário, além de ter enriquecido as construções com belos azulejos, mandou construir uma harmoniosa "casa de prazer" junto ao lago e dois robustos pavilhões junto aos muros laterais. Nos finais do século XVI, a propriedade fazia parte do morgadio pertencente a D. Jerónimo Teles Barreto - descendente de Afonso de Albuquerque. Este morgadio viria a ser herdado por sua irmã, Dona Maria Mendonça de Albuquerque, casada com D. Jerónimo Manuel, conhecido pela alcunha de "Bacalhau". É muito provável que o nome "Bacalhôa", pelo qual veio a ficar conhecida a antiga Quinta de Vila Fresca, em Azeitão, se deva ao facto de a mulher de D. Jerónimo Manuel ser designada da mesma forma sarcástica.
Em 1936, o Palácio da Bacalhôa foi comprado e restaurado pela norte-americana Orlena Scoville, cujo neto encetou a missão, na década de 1970, de tornar a quinta uma das maiores produtoras de vinho em Portugal. A arquitetura do Palácio, bm como a sua decoração e jardins, foram influenciados ao longo dos séculos pelos diferentes proprietários, inspirados pelas suas viagens através da Europa, da África e do Oriente. Merece especial nota a colecção de azulejos portugueses do séc. XV e XVI que a adorna, evocando desenhos mouriscos e representando uma casa no lago com vista para a Quinta. Do interior ao exterior, o visitante poderá apreciar peças únicas de coleccionismo, incluindo o primeiro azulejo datado em Portugal, para além dos jardins e vinhas.
Actualmente, a Quinta da Bacalhôa pertence à Fundação Berardo, pertencente à família do mesmo nome e cujo patriarca é o Comendador José Berardo. A 23 de Junho de 1910 foi classificada como Monumento Nacional.
Na área em redor da Quinta da Bacalhôa, o visitante encontra vilas pitorescas, adegas e uma das paisagens mais belas e imponentes de Portugal - o parque natural da Arrábida.

 

Marcar visita » 

 

livro Jr  

Palácio e Quinta da Bacalhôa - Inícios da Renascença

Livro escrito por Joaquim Rasteiro, em 1895

(clique na imagem para descarregar o livro) 

desenhos Desenhos - Apontamentos de Joaquim Rasteiro

Caderno de Joaquim Rasteiro com os padrões de azulejos do Palácio da Bacalhôa

data de 1889


D. Carlos I

Fotografias e Desenhos de D. Carlos I 

D. Carlos I comprou a Quinta e Palácio da Bacalhôa em 1903, tornando-a uma vez mais propriedade Real. Depois do regicídio, a quinta foi por herança para D. Manuel II, que a vendeu em 1914. 

Livro Restauro Palacio da Bacalhoa  

 Restauro do Palácio da Bacalhôa

 Livro com fotografias antes e após as obras de restauro iniciadas em 1936. 

The Garden Club  

The Garden Club

Setembro 1937

Artigo sobre Quinta e Palácio da Bacalhôa escrito por Mrs Orlena Scoville 

Vogue 1952

VOGUE PARIS
Junho 1952

Reportagem realizada em Portugal com fotografias no Palácio da Bacalhôa. 

Princess Margaret   Visita da Princesa Margarida, Condessa de Snowdon, ao Palácio da Bacalhôa
Junho 1959
Vogue 1961

VOGUE PARIS
Junho 1961

Reportagem realizada em Portugal com fotografias no Palácio da Bacalhôa.

Country life capa

COUNTRY LIFE
Maio 7, 1964

Artigo "An Ancient Palace South of Lisbon" por Patrícia Martineau

Ilustrações de Warren Martineau

look 1964

Look Magazine
Maio 19, 1964

Artigo "Fabulous, Feudal Portugal" com fotografias de Irving Penn 

 

Vogue Korea 

Julho 2015

Reportagem fotográfica com fotografias do Palácio da Bacalhôa